O Alcorão e o terrorismo islâmico

Islamismo

Sempre que terroristas muçulmanos realizam atentados, a grande mídia sai em defesa do islamismo. Isso ocorreu logo após o ataque às torres gêmeas, em Nova York (EUA), em 2001, e tem ocorrido na atualidade. Há alguns dias, depois dos ataques ao jornal Charlie Hebdo e a um mercado judeu, em Paris (França), a grande mídia tratou logo de dizer que o islã é uma religião de paz e amor e que é preciso combater a islamofobia.

Muitos afirmam que os muçulmanos violentos são uma pequeníssima minoria. E argumentam que os grupos terroristas, como Estado Islâmico (ISIS), Boko Haram, etc., seriam para o mundo islâmico o que a Ku Klux Klan é para a sociedade cristã. Entretanto, os terroristas muçulmanos citam versículos do Alcorão e as tradições de Mohamed para justificar os seus atos. Já a Ku Klux Klan, quando comete um ato de violência racial, está, na verdade, afrontando os ensinamentos de Jesus Cristo.

Na Bíblia, no Antigo Testamento, há casos episódicos em que Deus ordenou que israelitas destruíssem certas cidades, mas em nenhuma parte da Bíblia Sagrada vemos ordens gerais para o povo de Deus lutar contra os pagãos e impor a eles a sua fé. No Novo Testamento, não há nenhum incentivo à violência contra os não-cristãos. Pelo contrário, o Senhor Jesus ordena que os cristãos amem seus inimigos (Mt 5.38-48).

O Alcorão claramente incentiva os muçulmanos a lutarem e a matarem os que se opõem ao islã: “matai-os onde quer que os encontrardes […] e lutai contra eles até que não haja mais tumulto e opressão; que prevaleça a justiça e a fé em Allah” (Sura 2.190-3). “E se tu fores assassinado ou morrer, no caminho de Allah, o perdão e a misericórdia de Allah serão muito melhores do que todas as recompensas que poderias ajuntar. E se morreres, ou fores assassinado, ó, é para junto de Allah que serás levado” (Sura 3.157-8).

Veja de onde vem o incentivo para os terroristas islâmicos mutilarem e decapitarem pessoas: “Feri-os do pescoço para cima, e arrancai as pontas dos seus dedos. Isto por terem resistido a Allah e seu Mensageiro. Se houver qualquer relutância contra Allah e seu Mensageiro, Allah será severo em sua punição” (Sura 8.12-3). E ainda: “quando encontrardes os incrédulos, feri os seus pescoços; e então, quando os tiverdes subjugado por completo, amarrai-os com firmeza” (Sura 47.4).

Segundo o Alcorão, os judeus e os cristãos — chamados de os Povos do Livro — devem ser mortos: “Lutai contra aqueles que não acreditam em Allah nem no Último Dia […] e que não conhecem a Religião da Verdade, dentre os quais os Povos do Livro” (Sura 9.29). E quem deixa o islamismo também é digno de morte: “mas àqueles que se tornarem renegados, persigam-nos e matem-nos onde quer que os encontrardes” (Sura 4.89).

Qualquer pessoa ou grupo de pessoas que se oponham ao islã, no campo das ideias, e critiquem Mohamed (Maomé) são dignos de morte, de acordo com o Alcorão. Em Sura 4.101 e 5.33 lemos: “Os incrédulos são para vós inimigos declarados”; “A punição para aqueles que lutam contra Allah e seu Mensageiro, e que lutam com poder e força para causar danos à terra é: a execução, ou a crucificação, ou a mutilação das mãos e dos pés de lados opostos, ou o exílio da terra: que a sua desgraça neste mundo e a punição severa se aplique a eles daqui por diante”. Não é isso que têm feito a Al-Qaeda, o Estado Islâmico, o Boko Haram e outros grupos islâmicos?

Muitas outras passagens incentivam a violência e o terrorismo em nome de Allah: “lutai e matai os pagãos onde quer que os encontrardes, apanhai-os, cercai-os, e esperai por eles fazendo uso de todos os estratagemas” (Sura 9.5); “Não penseis naqueles que são mortos no caminho de Allah como se estivessem de fato mortos. Não, eles vivem, encontrando seu amparo na presença de seu Senhor” (Sura 3.169); “Aqueles que […] lutaram ou foram mortos — verdadeiramente, Eu eliminarei deles as suas iniquidades e os admitirei em Jardins dotados de rios que jorram — terão a presença de Allah como recompensa” (Sura 3.195).

Como se vê, o Alcorão está recheado de ordens gerais contra os que rejeitam as imposições do islamismo, as quais incentivam e abonam a violência. Seria honesto, nesse caso, afirmar que o islamismo é uma religião de paz e amor? Seria coerente dizer que o islã é vítima de preconceito em um mundo em que a religião mais perseguida e massacrada é o cristianismo, cujos principais algozes são os muçulmanos? Afinal, por que se fala tanto de islamofobia, se o que mais existe, na atualidade, é a cristofobia?

Ciro Sanches Zibordi

Fonte: http://cirozibordi.blogspot.com.br/

Anúncios

AUTO-ESTIMA

Auto-estima é um dos mais importantes aspectos que compõe a personalidade, dando uma identidade ao individuo e influenciando na sua adaptação à sociedade. A auto-estima esta relacionada a forma como cada um “vê” a si mesmo levando em conta seus aspectos tanto positivos quanto negativos , e a partir disso formando um sentido de valor próprio.

A auto-estima também pode ser definida como:

•  A capacidade que cada pessoa tem de valorizar-se, amar-se, apreciar-se e aceitar-se.

•  O conjunto de atitudes do individuo sobre si mesmo (Burns).

•  A percepção avaliativa de si mesmo.

A auto-estima se relaciona com muitas formas de conduta. As pessoas com uma auto-estima elevada relatam menos emoções agressivas e negativas e menos depressão que as pessoas com uma auto-estima baixa.

De modo similar, as pessoas com uma auto-estima elevada podem manejar melhor o stress, e quando são expostas ao mesmo, experimentam menos efeitos negativos na sua saúde.

A época mais importante para o desenvolvimento da auto estima é a infância. A criança compara seus “eu” real com seu “eu” ideal, e julga a si mesma pela maneira que consegue alcançar os padrões sociais e as expectativas que formou de si mesmo

As opiniões das crianças sobre si mesmas tem um grande impacto na formação  da personalidade, em especial no seu estado de animo habitual. Portanto, a auto-estima é o conceito que temos sobre nosso próprio valor, baseados em todos pensamentos, sentimentos e experiências que passamos, e como nos avaliamos nestas experiências (fracassado, vitorioso, satisfeito, frustrado, etc.). As milhares de impressões, avaliações e experiências assim reunidas, juntam-se em um sentimento positivo ou negativo sobre nos mesmos.

Os tipos de auto-estima são:

  • Auto-estima Alta :  A pessoa se ama, se aceita e se valoriza, pelo que realmente é.
  • Autoestima Baixa: A pessoa não se ama, não se valoriza e não se aceita. Frequentemente tem “modelos” de como deveria ser.
  • Auto-estima Inflada ou narcisistica: A pessoa se ama mais que qualquer outra, e valoriza demais as suas qualidades.

 

Características das pessoas com boa auto-estima (Campos e Muños, 1992)

  • Sabem que coisas fazem bem e aquelas  em que podem melhorar.
  • Se sentem bem consigo mesmos
  • Expressam suas opiniões
  • Não tem medo de falar com outras pessoas
  • Sabem identificar e expressar suas emoções para outras pessoas.
  • Participam de atividades no trabalho e escola.
  • Contam consigo mesmas para resolver as situações me sua vida, o que não significa que ignorem a ajuda e o apoio dos outros.
  • Tem consideração pelas outras pessoas, possuem um sentido de ajuda, e se dispõe a colaborar com os outros.
  • São criativas e originais, inventam coisas, e se interessam por realizar tarefas desconhecidas, aprendendo atividades novas.
  • Lutam para alcançar aquilo que querem
  • Desfrutam a própria vida.
  • Se “lançam” em novas atividades
  • Costumam ser organizados em suas atividades
  • Não tem vergonha de perguntar algo que não sabem
  • Defendem suas opiniões diante dos outros
  • Reconhecem quando erram
  • Não se importam que digam suas qualidades.,
  • Conhecem suas qualidades e procuram superar  seus defeitos
  • São responsáveis por suas ações
  • São lideres naturais

Pense nisso

Alex Domingos

Em busca da auto-estima perdida – Parte 1

Ter auto-estima significa, gostar de si mesmo, cuidar de si mesmo. Valorizar-se, respeitar-se.

Auto-estima, que  é na verdade a base emocional para o ser humano. É a cura para todas as dificuldades, sofrimentos e de todas as doenças de origem emocional.

Existem coisas na vida da gente que temos que definir como importante e indispensável. Já a auto-estima, elevada, por sua vez, tem que  ser definida como muito mais do que importante, temos que defini-la como fundamental para a nossa sobrevivência. Ela é o fator capaz de fazer morrer ou viver uma pessoa.

Quem é que gosta de insegurança, duvidas, incerteza, depressão e sentimento de incapacidade? Ninguém, não é mesmo? Estes sentimentos ruins, são algumas das características da baixa auto-estima, que é provocada por: criticas constantes, culpa, rejeição, frustração, vergonha, medo, humilhação e dependência financeira ou emocional.

Tecnicamente, a auto-estima de uma pessoa as vezes começa a ser esmagada, já na infância, quando as vezes a criança sente que não consegue agradar os pais da forma como eles gostariam. Os pais ao emitir uma opinião negativa sobre os filhos, os taxam como incapazes ou inúteis, e isto pode prejudicar a auto-estima dos filhos.

Por outro lado, verifica-se que uma pessoa com baixa auto-estima não acredita ser capaz de ter alguém que a ame. Sente um sofrimento que pode se expressar em forma de angustia e dor no peito. A depressão pode lentamente tomar conta do seu dia a dia.

O triste também é que pessoas com baixa auto-estima tendem a se meter em casos afetivos complicados e destrutivos e por terem uma necessidade enorme de ter alguém ao seu lado, se sujeitam a qualquer tipo de relacionamento.

Precisamos entender que precisamos cultivar em nossas vidas o amor próprio.

É necessário sempre verificar  o nível de nossa auto-estima, ou seja, verificar o quanto se está gostando de si mesmo, o quanto  se esta cuidando de si mesmo.

Neste sentido, também precisamos verificar se estamos culpando os outros pelos nossos problemas, pois quem empurra seus defeitos para os outros prova que não quer resolvê-los e isso é não gostar de si mesmo, pois quem de si mesmo cuida, encara os problemas e tenta resolvê-los.

Temos que saber encarar as pessoas, olho no olho, sem medo e também, deixar de ser uma pessoa critica e negativa.

Precisamos conversar mais sobre nossos problemas, pois ocultar nossas angustias só faz piorar a dor no peito.

Nunca tente mudar ou anular os seus valores, só para agradar alguém. Isso é uma anulação. Quem se ama não se anula.

Não faça de outra pessoa o centro de sua vida, nem abandone seus amigos, sua família por um romance novo. Mantenha sua vida normalmente. Não mude seus gostos, pelos gostos de outra pessoa. Mantenha sua opinião e sua fé. Cuidado com as Influências ( Dinâmica da folha em branco)

Não existe nenhum grande líder que tenha auto-estima baixa. Para conquistar o coração de uma multidão é necessário antes, conquistar o seu próprio coração. Ter auto-estima é acreditar que, se você foi concebido neste mundo é porque Deus, em sua infinita sabedoria, tem um projeto para sua vida. Cuidado para não frustrar os projetos de Deus.

Pense nisso

Alex Domingos

Problema na Suzuki Burgman AN125

Recentemente minha Burgman AN125 ano 2009, começou a apresentar alguns problema elétricos, os principais sintomas eram choque no manete do freio traseiro, o farol baixo pisca depois de um tempo ligado quando o freio e acionado e finalmente a moto não da partida. fica estralando quando você aciona o botão liga/desliga como se estivesse com problemas no motor de arranque.

Levei em uma oficina conceituada na região central para uma revisão completa e comentei com o cara sobre esse problema, o mesmo me disse nunca ter pego esse problema e depois de deixar minha moto lá, foram resolvidos alguns problemas existentes mas logo que sai da oficina tomei uma baita choque no manete, pra não ficar levando choque tive que encapar o manete com fita isolante.

Como a coisa começou a me irritar resolvi pesquisar sobre esse problema, pois com tudo nessa vida, pensei que certamente alguém teria passado pelos mesmos transtornos que eu, qual foi minha surpresa, depois de algumas pesquisas na net, encontrei algumas possíveis causas.

Uma coisa aparentemente simples que causa tanta dor de cabeça, o cabo terra que fica conectado ao bloco do motor estava rompido e com isso gerando todos esses problemas listados acima, fiz o reparo nesse cabo e aparentemente o problema foi resolvido.

Abaixo foto do local onde fica o cabo.

Jpeg
Cabo Terra 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fica a dica pra quem tem Burgman, com o tempo esse cabo resseca e acaba se rompendo, no meu caso o rompimento não foi total gerando esse problema de pega-não pega, farol baixo piscando e o mais grave que é o choque no manete que pode ocasionar quedas e consequentemente graves acidentes.

Bom resolvi postar aqui no blog para caso mais alguém passe por esse problema tenha alguma sugestão do problema.

Abraços

Alex Domingos.

Passo a Passo com o Problem Steps Recorder no Windows 7

Quantas vezes você já precisou dar um suporte a um usuário remoto mas não estava conseguindo entender onde realmente estava o problema?

Quantas vezes você precisou entender onde um determinado usuário estava cometendo um erro em um processo mas não conseguia identificar esse momento?

Quantas vezes o usuário tentou te explicar um problema e você não conseguiu entender?

O Problem Steps Recorder ou PSR e um programa nativo do Windows 7, simples mas muito útil nesses casos.

A sua principal função e gravar os passos apresentados na tela e cria um “manual” para a identificação do possível problema.

Em Iniciar – Executar, digitamos psr, será aberto uma pequena barra com as opções do programa.

Imagem

Clique em Iniciar gravação.

Basta agora iniciar o processo ou acessar o programa que está apresentando problemas ou até mesmo criar um rápido manual passo a passo para iniciar a gravação e auxiliar um usuário em uma configuração.

É possível inserir comentário e também é possível pausar o programa, caso queira que parte da demonstração não seja mostrada por exemplo.

Lembrando que o programa não faz gravação em tempo real e sim capturas dos cliques do mouse e as informações da tela.

Ao final será solicitado que você indique um local para gravação do conteúdo do arquivo, será criado então um arquivo com extensão .zip

Basta extrair o arquivo para uma basta e abrir o arquivo .mht, esse arquivo será aberto com o Internet Explorer com as informações capturadas.

Espero ter  ajudado.

Abraços

Alex Domingos

Lula, o diabo, o bom Deus, o acordo com Judas, com Sarney, com Collor, etc.

Por que ela está aí? Já explico. Antes, algumas considerações.

Lula fez ontem uma espécie de ameaça velada em Paris: “Ou vocês me deixam quieto ou corro pra galera; ou vocês param de encher o meu saco, ou vou buscar a imunidade nas urnas…”. Mas se candidatar a quê? Trato disso em outro post.

Notem: até agora, não aconteceu com Lula nada que esteja fora das mais estritas regras legais. Até agora, a imprensa “golpista” não fez com ele nada que não tenha feito com outros políticos. Na verdade, talvez nem seja bem assim: quando se trata de Lula, o tom é sempre mais cuidadoso.

Então de onde vem essa gritaria toda, anunciando uma suposta conspiração contra o ex-presidente? Parte considerável deriva do subjornalismo financiado pelo governo federal e por estatais — mais violento e dado a baixarias na gestão Dilma do que na própria gestão Lula, por incrível que pareça. Mas há também ecos na imprensa que os petistas chamam “golpista”. Lá estão alguns colunistas a apontar o suposto preconceito contra Lula, os maus bofes da direita, as maldades dos reacionários…

É uma gente que seria pitoresca não fosse a má consciência. Direita? Reacionários? Elites preconceituosas? Pois é… Eu me lembrei de um texto que escrevi no dia 23 de outubro de 2009. E estou aqui lamentando não tê-lo incluído em “O País dos Petralhas II”. O título original é “O diabo e o bom Deus” (já fiz referência a essa expressão hoje). Analiso uma frase de Lula que fará história. Segundo ele afirmou então, se Jesus fosse político no Brasil, faria acordo com Judas. Naqueles dias, o então presidente já fazia campanha eleitoral aberta em favor de Dilma, mandando a lei às favas. Vale a pena reler. Especialmente quando, depois de 22 anos, José Sarney vai experimentar um fim de semana prolongado à frente da Presidência da República. Ao texto.

A declaração estúpida de Lula, segundo a qual, no Brasil, é preciso fazer aliança até com Judas para governar, merece reflexões novas. É preciso ir além da firula, da aparência, da desconstrução da metáfora chula e, obviamente, desinformada para captar o sentido político da fala. Cumpre perguntar: com quem, então, ele jamais se aliaria? Antes de responder, alguma digressão.

Judas era um dos seguidores de Jesus. Ele se tornou um símbolo da traição, o que lhe custou muito caro. Acabou se enforcando, dada a enormidade do seu ato, perseguido por sua consciência. No Brasil, os Judas não se arrependem. E ainda mandam enforcar. Lula, como afirmei no primeiro texto sobre o caso, nunca foi traído por ninguém. A depender da abordagem que se faça, ele fica melhor é no papel de traidor. A foto de Alan Marques na primeira página da Folha (em si, muito boa), com o presidente de mãos postas, olhos fechados, como quem ora, buscou um diálogo com a manchete: “No Brasil, Cristo teria de se aliar a Judas, diz Lula”.

A intenção da edição era fazer um pacote religioso. Por que alguém que defende a aliança com um símbolo da traição merece ser retratado como quem está sendo tocado pelo Espírito Santo é um desses mistérios que ou é explicado pela ignorância religiosa ou por um refinado senso de humor. Minha aposta? Bem… Se é para passar a impressão de que Lula está orando, dada a aliança confessa com Judas, então ele deve ser o sacerdote de alguma Missa Negra. O conjunto — Lula, sua fala e a foto que a ilustra — dá notícias de um tempo bárbaro. Agora vamos voltar ao ponto lá do primeiro parágrafo para exorcizar o demônio da má política já que não há o que exorcize o demônio da má consciência.

E com o capeta, Lula faria acordo? É bem provável que sim. O bicho pode ter chifres, rabo, pés virados para trás, recender a enxofre, bigode, peito estufado, olhos trincados de tão arregalados… Não importa! Só não pode ter pena colorida, bico grande e, bem, chamar-se FHC. O que estou querendo dizer, queridos leitores, é que uma declaração em si mesma infeliz; de notável ignorância específica — e não há especificidade que este generalista não despreze com a nonchalance típica dos ignorantes convictos —; grosseira até, revela a disputa pela hegemonia do processo político, sim, mas também uma concepção autoritária de poder.

Peço-lhes um esforço brutal, sei disso, mas é só por alguns segundos: imaginem-se no lugar de Lula, comandante máximo do PT. Esqueçam só um pouco de que o olhamos de fora para dentro, de que enxergamos sua trajetória como críticos e como analistas. Neste breve instante em que estamos vendo o partido com os olhos de seu criador, certamente divisamos nele virtudes únicas, redentoras, salvadoras. Pois bem: quais seriam as qualidades que fazem de José Sarney, Renan Calheiros, Fernando Collor e Jader Barbalho companheiros de trajetória, mas de FHC um inimigo cuja história, se possível, deva ser eliminada da memória brasileira ou permanecer como anátema? Lembrem-se: ainda estamos na, vá lá, mente de Lula: a que solução moral ele chegou para vituperar de modo obsessivo contra o antecessor, mas a se abraçar com aquelas outras personalidades?

Eis a questão que interessa. Não é só Judas, não! Judas, vá lá, não deixava de fazer parte dos planos do Altíssimo. À sua maneira, era alguém que tinha uma função naquela narrativa. E acaba se dando muito mal. É uma personagem trágica, triste! Lula poderia se aliar também ao capeta porque o que está em disputa é a hegemonia do processo político. Há forças políticas no país que, por enquanto ao menos, ele não pode subordinar — e tampouco elas se submeteriam voluntariamente à sua liderança. Então vale literalmente tudo. Judas é só o elemento menos deletério do ajuntamento. Todos os outros têm um preço que pode ser perfeitamente pago. E como Lula paga! Paga com ministérios! Paga com estatais! Paga com cargos de segundo escalão! Paga com juros! Paga até com o real supervalorizado! Ele só não aceita pagar o preço da alternância do poder. Porque, de fato, este é um dos preços que cobra a democracia.

Huuummm… As coisas começam a ficar mais claras. Aquela defesa desavergonhada que Lula fez das alianças — até com Judas! — não é um testemunho de realismo político, não! É a expressão de uma concepção autoritária de poder. E é isso que muitos se negam a entender. É evidente que ele não acredita que o país estaria em piores mãos se dividisse o poder com, sei lá, o PSDB; é claro que ele sabe qual foi o papel de FHC na história do país e qual foi o de Sarney — “o homem especial”. Ocorre que Sarney não ambiciona uma troca de guarda, de comando, e o PSDB, sim.

É por isso que o homem que não tem pejo de fazer coligação com Judas — e o capeta pode vir também — só não aceita que as oposições voltem ao poder. Porque aceitá-lo, coisa corriqueira em países civilizados, implica acatar o princípio da democracia. Não! Não estou cobrando que Lula se quede passivamente diante de uma eventual derrota eleitoral . Estou cobrando que ele, ao menos, respeite a lei, o que obviamente não faz. Mais do que isso: anuncia que continuará a desrespeitá-la.

Aquele que aceita Judas como um dado da realidade política não vai se subordinar, evidentemente, a um código legal. Há naquela metáfora destrambelhada, como se vê, muito mais do que ignorância episódica: há a truculência metódica disfarçada de realismo político.

E encerro com a foto, aquela, em que parece que ele está fazendo download do divino. Talvez estivesse mesmo recebendo uma mensagem do além. A ser assim, não vinha das Luzes.

Por Reinaldo Azevedo

Fonte: http://veja.abril.com.br

O Pais do Futebol.

Só quem precisa usar sabe o que é a saúde publica.

O engraçado e que os governantes que são os responsáveis por manter, fiscalizar e subsidiar a saúde publica, não a utilizam, diferentemente disso utilizam os melhores hospitais e médicos particulares que posteriormente serão pagos com o nosso dinheiro.

Se a saúde publica e tão boa quanto eles insistem em dizer, porque eles não a utilizam???

Educação então nem se fala, abandonada, professores recebem salário de “fome”, não sentem dignidade de umas das profissões mais importantes de uma nação, a quantidade de professores de licença por problemas de depressão entre outros ligados aos problemas de segurança das escolas cresce a cada dia. (http://www1.folha.uol.com.br/saber/739498-a-cada-dia-um-professor-se-licencia-por-dois-anos.shtml )

Enquanto isso milhões de reais estão sendo gastos para construir estádio de futebol, isenção de impostos para clubes que pagam fortunas para seus jogadores.

Recentemente precisei levar meu sogro ao médico e tive que utilizar o AMA (Assistência Médica Ambulatória), confesso que o local e as instalações são excelentes não deixando a desejar para clínicas particulares, mas não há médicos, ou eles simplesmente não vão trabalhar.

Espera de 9 horas para ser atendido, é isso mesmo 9 horas para ser atendido, se tiver que fazer um exame ou ser medicado esquece….vi pessoas que chegaram com dor desistir depois de 6, 7 horas de espera.

Reportagem do UOL mostra que determinados problemas demoram até 35 meses para serem descobertas, até lá a pessoa já morreu (http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1216671-fila-do-servico-medico-da-rede-municipal-de-sp-tem-661-mil-pedidos.shtml )

Não existe preferência para idoso, portador de deficiência.

É triste a realidade do nosso país e as pessoas preocupadas com construção de estádio de futebol, copa do mundo, Olimpíadas. Deputados e vereadores em seus gabinetes preocupados em homenagear pessoas, criar leis inúteis como legalização da profissão “prostituta” ( http://www.verdadegospel.com/deputado-gay-quer-legalizar-a-prostituicao-no-brasil/ )

Somos conhecidos como “ o pais do futebol”, mas já ta mais que na hora de acrescentar, pais da impunidade, do analfabetismo, da criminalidade, dos mensalões, etc.  Precisamos entender a força que tem o Povo, e exercer nossos direitos.

ACORDA BRASIL

Alex Domingos