IPV6

Já tem algum tempo que é da área de TI sabe que os endereço ipv4 chegaram a fim e que futuramente apenas os endereços ipv-6 estarão disponíveis para uso.

Para infraestruturas mais críticas como operadores de telefonia, provedores de internet isso já é uma realidade, sendo assim se faz mais que necessário conhecer mais sobre esse novo tipo de endereçamento.

Pensando nisso o pessoal do IPV6.Br criou um material muito bom sobre o assunto e está disponibilizando esse livro para download gratuito.

Para quem é de TI é uma leitura mais que obrigatória, no link  http://ipv6.br/pagina/livro-ipv6/ é possível baixar o livro e inclusive um ambiente de testes para acompanhar a leitura.

Conteúdo do livro:

  • Funcionalidades básicas
    • NDP: Neighbor Solicitation e Neighbor Advertisement
    • NDP: Router Solicitation
    • NDP: Router Advertisement
    • NDP: detecção de endereços duplicados
    • SLAAC: Router Advertisement utilizando Quagga
    • SLAAC: Router Advertisement utilizando radvd
    • DHCPv6 stateful
    • DHCPv6 stateless
    • DHCPv6 Prefix Delegation
    • Path MTU Discovery
  • Serviços
    • DNS: consultas DNS
    • DNS: servidor autoritativo
    • HTTP: novas páginas no Apache
    • HTTP: páginas existentes no Apache
    • HTTP: novas páginas no Nginx
    • Proxy Web direto
    • Proxy Web reverso
    • Samba
  • Segurança
    • Ataque DoS ao NDP
    • Firewall stateful
    • IPsec: Transporte
    • IPsec: Túnel
  • Técnicas de transição
    • Túnel 6in4
    • Túnel GRE
    • Dual Stack Lite (DS-Lite): implantação
    • 6rd: configuração de relay e CPE (/64)
    • 6rd: configuração de CPE (/56)
    • NAT64: implantação utilizando TAYGA
    • 464XLAT
  • Roteamento
    • OSPFv3: configuração de uma única área
    • BGP

Calculando o Consumo dos Aparelhos

Em tempos de crise e eletricidade cara quem não deseja economizar, porém nem sempre banhos rápidos, ficar no escuro e assistir menos TV resolve, uma vez que você pode ter entre seus aparelhos domésticos vilões que pesam na sua conta e você não tem conhecimento como uma geladeira antiga, um ferro de passar velho, etc.

Nesse caso como eu faço para saber quais são aparelhos vilões do meu orçamento??

Desde 1994 os aparelhos com melhor consumo energético recebem o selo Procel, mas é sempre bom saber fazer o calculo antes de optar por um modelo e marca de aparelho e ter ideia de quanto seu aparelho vai pesar no seu bolso.

Para saber quanto um aparelho está gastando em kwh e consequentemente em reais que é o que nos interessa a conta é bem simples, e para isso precisamos usar a formula abaixo:

             Consumo = (potencia em watts / 1000) x (tempo) numero de horas = total em KWh

Bom, para iniciar o nosso calculo é necessário saber a potencia do nosso aparelho, essa informação fica em uma etiqueta que informa a potencia do aparelho em watts, com essas informações aplicamos a formula:

No nosso modelo o aparelho tem potencia de 750watts e é usado 1 hora por dia, então:

              750w/1000 x 1 = 0,75KWh

Agora sabemos que o nosso aparelho tem um consumo de 0,75KWh, com essa informação vamos usar o valor de R$0,40 centavos que temos como referencia para o que a operadora de energia elétrica, no meu caso Eletropaulo cobra por Kwh (Kilowatt hora), você pode obter essa referencia no site da ANEEL.

            0,75kwh x 0,40 cent = 0,30 cent/hora

Bom com a conta acima calculamos quantas horas por mês usamos esse nosso aparelho e temos o valor em reais do consumo mensal.

Faça o mesmo com os seus aparelhos e saiba quem são os vilões ou apenas saiba quanto cada aparelho pesa no seu bolso e saiba onde de fato vale a pena economizar.

Espero ter ajudado.

Habilitando Auditoria de Objetos no Windows Server 2008

Em algumas situações e muito importante saber qual usuário foi o responsável por determinada alteração, para isso existe o recurso Auditoria de Objetos que por padrão não vem habilitada no Active Directory.

Para habilitar esse recursos, acesse Ferramentas Administrativas, em seguida acesse Gerenciamento de Diretiva de Grupo, na Default Domain Policy, clique com o botão direito do mouse e em editar.

Em Configuração do Computador – Configuração do Windows – Configuração de Segurança – Diretivas Locais – Diretiva de Auditoria, clique em Auditoria de acesso a Objetos e habilite as opções desejadas.

Auditoria

 

 

 

 

 

 

 

Importante lembrar que essa opção irá aumentar de forma significativa os logs de evento de segurança, para alterar essa opção, abra o Visualizados de Eventos, vá para Logs do Windows – Segurança – botão direito – Propriedades, nessa tela é possível alterar o tamanho máximo que o log pode ocupar no disco, e possível também alterar regras de armazenamento dos logs.

Log

 

 

 

 

 

 

Valeu
Alex Domingos

Como excluir uma OU protegida no Windows Server 2008

No Windows Server 2008 por padrão quando uma OU é criada, a opção “Proteger contêiner contra exclusão acidental” vem marcada

Caso você tenha criado uma Unidade Organizacional protegida no Windows Server 2008 e precise excluir, será necessários seguir alguns passos:

1º Habilite a opção Recursos avançados do Active Directory.

Vá para Usuários e Computadores do Active Directory, vá ao menu Exibir / (marque) Recursos avançados.

Recursos Avançados

2º Vá para as propriedades da OU em Objetos, desmarque a opção Proteger contra exclusão acidental.

Prop OU

Vá para a OU que deseja excluir, clique com o botão direito do mouse, no sub menu que aparecer clique em Propriedades, vá na guia Objeto desmarque a opção Proteger contra exclusão acidental, depois clique em OK.

Feito isso a OU será excluída, caso exista objetos protegidos dentro dessa OU o mesmo processo deve ser feito também nesses objetos.

Valeu
Alex Domingos

Mais atual impossível

AtualDia 17 completa 1 século da frase que eternizou Rui Barbosa: “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e ter vergonha de ser honesto.

Apesar de quase um século de existência, se disséssemos que essa frase foi escrita a poucos dias ninguém duvidaria disso. Infelizmente em nossos dias a honestidade deixou de ser obrigação e virou virtude, aqui a mentira, a desonestidade, levar vantagens é enaltecido, afinal de contas como dizem alguém: “Não tem mais jeito”.

O que é um pouco de “esmola governamental” perto dos bilhões que eles roubam, como já disse um certo político: “Rouba mas faz”.

É triste ver o caminho que essa sociedade tem tomado, pior ainda e ver a falta de engajamento e determinação dos jovens na tentativa de com os recursos a nossa disposição tentar mudar essa situação, mudar a forma de pensar e fazer a diferença com Rui Barbosa fez em seu tempo.

Pense nisso

Alex Domingos

O Alcorão e o terrorismo islâmico

Islamismo

Sempre que terroristas muçulmanos realizam atentados, a grande mídia sai em defesa do islamismo. Isso ocorreu logo após o ataque às torres gêmeas, em Nova York (EUA), em 2001, e tem ocorrido na atualidade. Há alguns dias, depois dos ataques ao jornal Charlie Hebdo e a um mercado judeu, em Paris (França), a grande mídia tratou logo de dizer que o islã é uma religião de paz e amor e que é preciso combater a islamofobia.

Muitos afirmam que os muçulmanos violentos são uma pequeníssima minoria. E argumentam que os grupos terroristas, como Estado Islâmico (ISIS), Boko Haram, etc., seriam para o mundo islâmico o que a Ku Klux Klan é para a sociedade cristã. Entretanto, os terroristas muçulmanos citam versículos do Alcorão e as tradições de Mohamed para justificar os seus atos. Já a Ku Klux Klan, quando comete um ato de violência racial, está, na verdade, afrontando os ensinamentos de Jesus Cristo.

Na Bíblia, no Antigo Testamento, há casos episódicos em que Deus ordenou que israelitas destruíssem certas cidades, mas em nenhuma parte da Bíblia Sagrada vemos ordens gerais para o povo de Deus lutar contra os pagãos e impor a eles a sua fé. No Novo Testamento, não há nenhum incentivo à violência contra os não-cristãos. Pelo contrário, o Senhor Jesus ordena que os cristãos amem seus inimigos (Mt 5.38-48).

O Alcorão claramente incentiva os muçulmanos a lutarem e a matarem os que se opõem ao islã: “matai-os onde quer que os encontrardes […] e lutai contra eles até que não haja mais tumulto e opressão; que prevaleça a justiça e a fé em Allah” (Sura 2.190-3). “E se tu fores assassinado ou morrer, no caminho de Allah, o perdão e a misericórdia de Allah serão muito melhores do que todas as recompensas que poderias ajuntar. E se morreres, ou fores assassinado, ó, é para junto de Allah que serás levado” (Sura 3.157-8).

Veja de onde vem o incentivo para os terroristas islâmicos mutilarem e decapitarem pessoas: “Feri-os do pescoço para cima, e arrancai as pontas dos seus dedos. Isto por terem resistido a Allah e seu Mensageiro. Se houver qualquer relutância contra Allah e seu Mensageiro, Allah será severo em sua punição” (Sura 8.12-3). E ainda: “quando encontrardes os incrédulos, feri os seus pescoços; e então, quando os tiverdes subjugado por completo, amarrai-os com firmeza” (Sura 47.4).

Segundo o Alcorão, os judeus e os cristãos — chamados de os Povos do Livro — devem ser mortos: “Lutai contra aqueles que não acreditam em Allah nem no Último Dia […] e que não conhecem a Religião da Verdade, dentre os quais os Povos do Livro” (Sura 9.29). E quem deixa o islamismo também é digno de morte: “mas àqueles que se tornarem renegados, persigam-nos e matem-nos onde quer que os encontrardes” (Sura 4.89).

Qualquer pessoa ou grupo de pessoas que se oponham ao islã, no campo das ideias, e critiquem Mohamed (Maomé) são dignos de morte, de acordo com o Alcorão. Em Sura 4.101 e 5.33 lemos: “Os incrédulos são para vós inimigos declarados”; “A punição para aqueles que lutam contra Allah e seu Mensageiro, e que lutam com poder e força para causar danos à terra é: a execução, ou a crucificação, ou a mutilação das mãos e dos pés de lados opostos, ou o exílio da terra: que a sua desgraça neste mundo e a punição severa se aplique a eles daqui por diante”. Não é isso que têm feito a Al-Qaeda, o Estado Islâmico, o Boko Haram e outros grupos islâmicos?

Muitas outras passagens incentivam a violência e o terrorismo em nome de Allah: “lutai e matai os pagãos onde quer que os encontrardes, apanhai-os, cercai-os, e esperai por eles fazendo uso de todos os estratagemas” (Sura 9.5); “Não penseis naqueles que são mortos no caminho de Allah como se estivessem de fato mortos. Não, eles vivem, encontrando seu amparo na presença de seu Senhor” (Sura 3.169); “Aqueles que […] lutaram ou foram mortos — verdadeiramente, Eu eliminarei deles as suas iniquidades e os admitirei em Jardins dotados de rios que jorram — terão a presença de Allah como recompensa” (Sura 3.195).

Como se vê, o Alcorão está recheado de ordens gerais contra os que rejeitam as imposições do islamismo, as quais incentivam e abonam a violência. Seria honesto, nesse caso, afirmar que o islamismo é uma religião de paz e amor? Seria coerente dizer que o islã é vítima de preconceito em um mundo em que a religião mais perseguida e massacrada é o cristianismo, cujos principais algozes são os muçulmanos? Afinal, por que se fala tanto de islamofobia, se o que mais existe, na atualidade, é a cristofobia?

Ciro Sanches Zibordi

Fonte: http://cirozibordi.blogspot.com.br/

Em busca da auto-estima perdida – parte 5

O que significa ter uma boa autoestima?

Basicamente, auto-estima significa, quem você é pra você.  Portanto, seguindo esta linha de raciocínio, se você se tiver em “alta conta”, se valorizar, e se considerar como alguém de “valor”, você terá uma auto-estima alta. Do contrário, o que é mais comum, a sua auto-estima será baixa.

Todos têm problemas de auto-estima.

A grande tendência é nos valorizarmos para os “outros” e não para nos mesmos. Alem disso, existe um grande preconceito com relação ao ato de se “valorizar”. Muitas vezes vemos este comportamento como egoísmo, e por isso, nos “proibimos” de gostar de nós mesmos. Se gostar significa que seus sentimentos, suas necessidades e vontades são importantes.

A conseqüência da nossa baixa auto-estima é a desvalorização. Você não é importante para você.

Muitas situações “ruins” que aconteceram, ou que estão acontecendo na sua vida agora, estão diretamente relacionadas à sua baixa auto-estima. O constante sentimento de rejeição, de menos, que sempre “andam” junto com você, levam a uma serie de sentimentos negativos que acabam, por digamos atrair, ou melhor, causar, uma serie de situações negativas e frustrantes. A baixa auto-estima leva até a sentimentos de violência, desde a verbal até a física. Seja violência contra o outro, quanto à violência praticada contra nós mesmos. A pessoa dita “violenta” esta ferida de alguma forma, se frustra por não acreditar que vá obter o que quer, e por isso se vira contra os outros e/ou contra si mesma. Por isso a auto violência é muito comum.

Sem estima esperamos que o “outro” faça, aquilo que não fazemos por nós mesmos.

Você espera que os outros tenham consideração por você. Mas essa consideração você dá para si mesmo?

Você é um “amor” com os outros, e, uma “peste” com você?

Demonstra que tem “jeito”, e condições de considerar e dar amor para os “outros”, mas não faz o mesmo para si?

Muitas vezes, para “compensar” o mau trato que você faz com si mesmo. Você começa a fazer “tudo” para os outros. Tudo que eles “querem”. E a conseqüência disso, é que você se anula. Você acredita que vai “consertar” a sua falta de amor próprio, “consertando” por fora (fazendo para os “outros”), e não mudando a si mesmo. Nestas situações aparecem os medos. O medo de “romper” com o “outro”. Porque você não quer “ficar só”. E este medo é mais intenso, na medida em que você não é seu “amigo”. Você é seu próprio “inimigo”.Você não é seu “amigo”, porque nas horas de dificuldade, quando, por exemplo, você comete algum “erro”, você simplesmente “morre de vergonha de si mesmo”, e é o primeiro a se colocar” para baixo”. Você tende a se tratar com uma exigência absurda. Podendo desta forma, estar repetindo o “modelo” como foi tratado pelos pais, ou por outras pessoas na sua vida.

Em nome do amor, existe muito desamor. Mas, não adianta questionar aqueles que te ensinaram a se tratar desta forma, porque, sendo você um adulto, não esta mais “na mão deles”, mas nas suas próprias mãos. Alem disso, o que você faz por si mesmo, hoje em dia, melhor que estas pessoas, fizeram no passado? Talvez elas tenham tentado fazer o melhor por você. E você tem feito o que por você?

Provavelmente nada, ou sendo otimista, muito pouco.

As outras pessoas fazem muita coisa por nós, isto é inegável. Mas não são só eles que tem que fazer tudo.

O que você “faz” ai dentro de si?

Não existe nada mais importante neste mundo do que você estar bem com você mesmo. Porque se acontecer o “ruim” fora, você está bem por dentro. Por isso você não pode se ignorar, e não se aceitar.

Pense Nisso

Alex Domingos